Estudo aponta que estudantes paulistas se sentem inseguros ao se relacionar

20/05/2021 Core

Pesquisadores propõem educação que inclua disciplinas que despertem curiosidade e determinação nas crianças e adolescentes

Antes da pandemia da Covid-19 chegar ao Brasil, em novembro de 2019, uma pesquisa com mais de 110 mil alunos de quase 3.600 escolas estaduais de São Paulo foi realizada com o intuito de levantar questões emocionais, como o desânimo e inseguranças pessoais, que estão relacionadas ao rendimento escolar.

A avaliação socioemocional foi realizada pela Secretaria Estadual da Educação com o apoio do Instituto Airton Senna. Os resultados, apontaram que os estudantes já demonstravam, por exemplo, perda de confiança em pessoas ao seu redor. 

 

“Se não educarmos o coração não atingimos plena educação, que é o desenvolvimento integral dos estudantes, não só para atingir notas melhores, mas também para atingir metas e objetivos de vida”, destaca Gisele Alves, especialista em educação do Instituto Ayrton Senna.

 

Entre as competências emocionais que precisam ser desenvolvidas, estão a autoconfiança e a tolerância com a frustração. A partir de agora, após essa percepção, escolas estaduais irão focar nesses pontos para melhorar o caminho estudantil das crianças e adolescentes.

O Secretário Estadual da Educação, Rossieli Soares, afirmou que os resultados da pesquisa serão aplicados no dia a dia de cada matéria para estimular o aprendizado emocional dos jovens. “O desenvolvimento das competências socioemocionais também é fundamental. Nenhum de nós consegue avançar se não for um conjunto de coisas”.

 

Original TVCultura aqui

, ,
× Precisa de ajuda?