Competências Socioemocionais na Educação Física Escolar através das Virtudes e Forças de Caráter

13/10/2020
Posted in Artigos
13/10/2020 Fernando Cavalli

A nova BNCC (2018) trouxe, pela primeira vez nesse tipo de documento, o destaque a um grupo de competências que sempre tiveram o seu lugar nas escolas e podemos dizer que instintivamente sempre foram trabalhadas por serem características da essência humana e, dessa forma, impossíveis de serem separadas das relações no cotidiano. Essas competências são chamadas socioemocionais e a devida atenção a esses aspectos humanos passaram a ter destaque, não mais podendo ser trabalhadas ao acaso ou inconscientemente e sim de propósito, intencionalmente e de maneira planejada.

Dessa maneira, também ocorre na Educação Física Escolar, na qual temos condições maximizadas para esse desenvolvimento devido as características da área ligadas ànatureza prática que possui, ao protagonismo, as relações de cooperação e competição, etc. Pensando por esse lado, a primeira ideia que surge ao lermos a BNCC aponta para uma reação de satisfação com o trabalho já desenvolvido, por acreditar que se existe um componente curricular que já faz esse trabalho diariamente, é a Educação Física. Porém, ao aprofundarmos os estudos no documento e entendermos o real significado que ele carrega, percebemos que não mais podemos planejar focados apenas em conteúdos específicos da área, e que essas competências devem passar a fazer parte das expectativas de aprendizagem, com formas de avaliação pré-definidas e vivências organizadas e planejadas para intencionalmente desenvolver essas características nos alunos.

​Com esse novo desafio, podemos encontrar na Psicologia Positiva (sendo mais preciso, nas Virtudes e Forças de Caráter)uma maneira aplicada, prática e baseada em ciência para elaborar estratégias eficientes para o sucesso dessa bela missão que chamamos de formação integral do cidadão. As Virtudes e as Forças de Caráter são fruto de uma pesquisa de três anos do Psicólogo Martin Seligman, conhecido como o pai da Psicologia Positiva, e do também psicólogo Christopher Peterson. Essa pesquisa teve como objetivo elaborar um manual das características positivas das pessoas, pois assim como na psicologia convencional existe o Manual de Diagnóstico e Estatística das Desordens Mentais (DSM), deveria existir na psicologia positiva um manual para classificar as virtudes humanas. A psicologia positiva visa desenvolver o que o ser humano tem de melhor em busca do bem-estar em todas as áreas da vida e, dessa forma, permitir que as pessoas e comunidades floresçam.

As virtudes humanas podem ser consideradas as mais altas qualidades que um ser humano pode ter, e as forças de caráter são os componentes que formam essas virtudes. Esse manual trouxe ao todo 6 virtudes e 24 forças de caráter conforme indicado a seguir:

Virtude da sabedoria e conhecimento composta pelas forças da criatividade, curiosidade, critério, amor ao aprendizado e perspectiva.
Virtude da coragem composta pelas forças da bravura, perseverança, integridade e vitalidade.
Virtude da Humanidade composta pelas forças da bondade, amor e inteligência social.
Virtude da Justiça composta pelas forças da imparcialidade, liderança e trabalho em equipe.
Virtude da Temperança composta pelas forças do perdão, humildade, prudência e autocontrole.
Virtude da Transcendência composta pelas forças da apreciação da beleza e da excelência, gratidão, esperança, humor e espiritualidade.

​Ao analisarmos as forças de caráter e compararmos com as competências gerais da BNCC – que são o Conhecimento, Pensamento científico, crítico e criativo, Repertório cultural, Comunicação, Cultura digital, Trabalho e projeto de vida, Argumentação, Autoconhecimento e autocuidado, Empatia e cooperação e Responsabilidade e cidadania notamos que elas estão intimamente conectadas e muitas vezes são inclusive as mesmas, o que possibilita usarmos as diversas práticas já testadas cientificamente por todo o mundo na aplicação das virtudes humanas para desenvolver essas competências. Ao pesquisarmos e analisarmos os diversos livros e trabalhos já existentes sobre o uso das forças de caráter, descobrimos muitas formas possíveis de aplicá-las em aula. Dessa maneira,deixo aqui um exemplo prático que pode ser feito com facilidade no cotidiano das nossas aulas sem que haja a necessidade de mudar o planejamento do conteúdo específico eque, ao mesmo tempo, gere um excelente resultado e desenvolvimento nesses aspectos.

Para começarmos a desenvolver e aplicar as forças de caráter em aula, precisamos apresentá-las aos alunos de maneira simples e objetiva. A partir desse momento, passamos a selecionar de uma a três forças para trabalhar ao longo de algumas semanas, garantindo que ao longo do ano os alunos tenham a oportunidade de conhecer e vivenciar todas as forças. O nível de aplicação e abstração deve ser aprofundado de acordo com o nível de aprendizagem já apresentado. Desse modo, podemos começar apresentando as forças e explicando o significado, posteriormente mostrando exemplos de pessoas e situações nas quais essas forças são usadas, em seguida chamando atenção para momentos de aula em que elas acontecem, e na sequência pedindo aos alunos que apontem os momentos em que as forças aparecem ou apareceram nas aulas até chegar ao ponto em que eles criam situações e intervenções específicas para usar as forças e até mesmo para resolver conflitos ou desafios do cotidiano.

Toda essa prática demanda persistência e criação de um novo hábito, acontece de maneira sutil, com intervenções graduais e ao longo do tempo se torna uma nova cultura, passando a fazer parte do mindset e perfil do grupo e da instituição, desenvolvendo as competências gerais e fazendo com que todos passem a ter foco em solução, colaboração, empatia, etc.

REFERÊNCIAS

Felicidade Autêntica – Usando A Nova Psicologia Positiva Para A Realização Permanente – Martin Seligman – Editora: Objetiva – Ano: 2004
Florescer – Martin Seligman – Editora: Objetiva– Ano: 2011
Semeando Felicidade – Flora Victoria – Editora: Sbcoacinhg – Ano: 2016

Fernando Cavalli

Fernando Cavalli é professor de Educação Física na Rede Pública de Educação de São Paulo há 16 anos e há 2 anos, na Rede Particular. Formado também em Pedagogia, Especialista em Educação Física Escolar e Master Positive Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching com especialização em Psicologia Positiva. Instagram: @fernandocavalli, Blog https://fernandocavalli.blogspot.com/ e Site http://ocoach.sbcoaching.com.br/fernandocavalli .
× Precisa de ajuda?