ONU marca Dia Internacional da Juventude destacando transformação na educação

Agosto 12, 2019
Posted in Notícias
Agosto 12, 2019 Marcia Ameriot

 

As Nações Unidas marcam este 12 de agosto o Dia da Juventude sob o lema Transformando a Educação.

Para o ano que marca a 20ª celebração desta data, o secretário-geral publicou uma mensagem destacando que a área educativa deve ser mais inclusiva, acessível e relevante para a situação atual.

Capacidades

De acordo com o chefe da ONU, o mundo enfrenta uma crise de aprendizagem. Para António Guterres, muitas vezes as escolas não equipam os jovens com as capacidades que eles precisam para navegar a revolução tecnológica.

O secretário-geral acrescentou que “os estudantes não precisam apenas aprender, mas também aprender a aprender”.

Guterres destaca que educação de hoje deve combinar conhecimento, competências para a vida e pensamento crítico. O secretário-geral defende ainda que esta área deve incluir informação sobre sustentabilidade e mudança climática e fazer avançar a igualdade de gênero, os direitos humanos e uma cultura de paz.

As Nações Unidas implementam a estratégia Juventude 2030, que pretende aumentar o envolvimento da organização com os jovens em temas globais e apoiar a realização dos seus direitos durante os próximos anos.

 

A área educativa deve ser mais inclusiva, acessível e relevante para a situação atual.

Educação

A mensagem de Guterres destaca ainda que a celebração deste dia inclui jovens, organizações lideradas por eles, governos e outros setores que atuam para transformar a educação e alcançar a juventude em todos os lugares.

Em Nova Iorque, um debate sobre liderança de jovens mulheres marca o dia com a participação de altos funcionários da ONU e ONGs que atuam em áreas como empoderamento, liderança e os direitos femininos em países e comunidades locais.

No evento também estará a enviada das Nações Unidas para a Juventude, Jayathma Wickramanayake, que este agosto promove a iniciativa que avalia como a organização interage com o grupo.

Moradia

No entanto, o especialista independente sobre a proteção contra a violência e discriminação baseada na orientação sexual e identidade de gênero, Victor Madrigal-Borloz, emitiu uma nota sobre o dia com a relatora sobre o direito à moradia, Leilani Farha.

Os dois peritos apelam aos países que adotem medidas urgentes para abordar práticas discriminatórias contra jovens lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros em relação à moradia.

A nota destaca que este grupo enfrenta a exclusão devido à intolerância religiosa ou cultural, que podem incluir formas sexuais e outras formas de violência em todo o mundo, onde estes também enfrentam exclusão socioeconômica.

Fonte: news.un.org

, , , ,

Marcia Ameriot

Bacharel em Comunicação pela PUC - SP e jornalista.Há mais de 30 anos atua no Terceiro Setor, tendo dirigido grandes fundaçōes. Desenvolveu sua carreira em Comunicação em veículos de comunicação como Folha da Tarde, Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios. Especialista em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pela FGV - SP, é Reinventora CORE e Diretora de Comunicação da Associação.
× Precisa de ajuda?